domingo, 24 de setembro de 2017

Encíclica "Diuturnum Illud" do Papa Leão XIII


ENCÍCLICA

DIUTURNUM ILLUD

DO SUMO PONTÍFICE LEÃO XIII

SOBRE A ORIGEM DO PODER CIVIL

Tradução: Dominus Est

Aos Veneráveis Irmãos Patriarcas, Primazes, Arcebispos, e todos os Bispos do Orbe Católico em comunhão com a Sé Apostólica: sobre a origem do poder civil. 

Veneráveis Irmãos: Saudação e Bênção Apostólica.

sexta-feira, 22 de setembro de 2017

Encíclica "Providentissimus Deus" do Papa Leão XIII


ENCÍCLICA

PROVIDENTISSIMUS DEUS

DO PAPA LEÃO XII

SOBRE OS ESTUDOS BÍBLICOS

Veneráveis irmãos, saúde e benção apostólica

1. Deus providentíssimo, que por um admirável desígnio da sua caridade, elevou o gênero humano, desde a sua origem, a participante da natureza divina, e depois, regenerado da culpa e pena universal, o restituiu á pristina dignidade, dignou-se liberalizar-lhe uma graça singular revelando-lhe por meios sobrenaturais os arcanos da sua divindade, sabedoria e misericórdia. E, se bem que na revelação divina há verdades accessíveis á inteligência humana, foram todavia reveladas ao homem para que lograssem ser conhecidas por todos, dum modo expedito, com firme certeza, sem mescla de erro; não porque para tais verdades fosse de absoluta necessidade a revelação divina, mas porque Deus em sua infinita bondade ordenou o homem a um fim sobrenatural. 

segunda-feira, 18 de setembro de 2017

Mons. Schneider: A interpretação do Concílio Vaticano II e sua conexão com a atual crise da Igreja


Dom Athanasius Schneider
A situação atual da inaudita crise da Igreja é comparável com aquela geral no século IV, onde o arianismo contaminou a esmagadora maioria do episcopado e foi reinante na vida da Igreja. Devemos procurar ver esta situação atual, por um lado, com realismo e, por outro, com o espírito sobrenatural, com um profundo amor para com a Igreja, que é nossa mãe, e que está sofrendo a paixão de Cristo por meio dessa tremenda e geral confusão doutrinal, litúrgica e pastoral.

quarta-feira, 13 de setembro de 2017

Encíclica "Satis Cognitum' do Papa Leão XIII


ENCÍCLICA

SATIS COGNITUM

DO SUMO PONTÍFICE
LEÃO XIII

Sobre a Unidade da Igreja


INTRODUÇÃO

Que todos voltem à unidade.

1. Sabeis bastante que uma parte considerável dos Nossos pensamentos e preocupações é dirigida para este fito: esforçar-Nos para reconduzir os transviados ao redil governado pelo Supremo Pastor das almas, Jesus Cristo. Com a alma aplicada a este objetivo, pensamos que seria grandemente útil a esse intento e a essa empresa de salvação traçar a imagem da Igreja, desenhar-lhe, por assim dizer, os traços principais, e pôr em relevo, como o traço mais digno de uma atenção capital, a unidade: caráter insigne de verdade e do invencível poder, que o Autor divino da Igreja imprimiu para sempre na sua obra. Considerada na sua forma e beleza nativa, deve a Igreja ter uma ação poderosíssima sobre as almas: não é afastar-se da verdade o dizer que este espetáculo pode dissipar a ignorância, retificar as ideias falsas e os preconceitos, sobretudo naqueles cujo erro não vem da sua própria culpa. Pode ele mesmo excitar nos homens o amor da Igreja, um amor semelhante àquela caridade sob cujo impulso Jesus Cristo escolheu a Igreja para sua esposa, resgatando-a com seu sangue divino. Porquanto “Jesus Cristo amou a Igreja e a si mesmo se entregou por ela” (Ef 5, 25).

quarta-feira, 31 de maio de 2017

A Predestinação de Nossa Senhora


Pe. Gabriel Roschini, OSM

A própria razão nos diz que o primeiro entre todos os predestinados devia ter sido aquela criatura racional que é a mais vizinha a Cristo, causa eficiente, exemplar e final de nossa predestinação e, por isso mesmo, chefe e cabeça dos predestinados. E tal criatura não foi, porventura, Maria, sua Mãe? A razão nos diz, além disso, que Deus quer a existência das criaturas conforme o grau de perfeição das mesmas, pelo qual se manifesta sua glória, que é o fim da criação; de sorte que as criaturas mais nobres são intencionadas por Deus antes das menos nobres. E a Virgem Santíssima, como Mãe do Criador e Mãe universal das criaturas, não se acha, porventura, no pináculo da nobreza e de toda grandeza? Portanto, Maria foi intencionada por Deus antes de qualquer outra criatura. Uma consequência lógica desse princípio inconcusso é que todas as criaturas foram criadas em vista de Cristo e de Maria, para a glória dos dois, como um cortejo real para eles. "Para Maria", diz um sermão atribuído a São Bernardo, “ foi criado todo o mundo” (P. L. 184, 1069). E é justo: o que é menos nobre existe sempre para o que é mais nobre. E todo o mundo, tomado em conjunto, não é, porventura, menos nobre do que Jesus e Maria? Todo o mundo, portanto, está subordinado a Jesus e a Maria, e foi tirado do nada em vista deles, para sua glória.

quarta-feira, 28 de setembro de 2016

O Modernismo: Heresia Suprema e Síntese de Todos os Erros


O Modernismo


Nesse texto me aprofundo brevemente em alguns aspectos da heresia modernista – que tanto mal fez e tem feito principalmente nos dias de hoje arrastando uma multidão de ludibriados até a apostasia silenciosa da fé católica – conforme assinalados pelo Vaticano I, São Pio X, Pio XII bem como as características fundamentais do herege modernista de acordo com o Magistério da Igreja. No entanto tenhamos sempre em vista que o modernismo pode se diversificar acidentalmente em diversas outras modalidades e até sob uma capa de aparente ortodoxia. É um erro que pode assumir expressões muito sutis, mas a todo momento com consequências devastadoras. É uma heresia capaz de causar uma verdadeira entropia da Profissão de Fé. Requer-se um exame cuidadoso da substância do modernismo conforme apresentada nas Encíclicas para se chegar a conclusão se realmente determinados comportamentos e teorias em voga têm fulcro modernista ou não.

quarta-feira, 21 de setembro de 2016

O Vício das Palavras Imodestas - Santo Afonso de Ligório, Doutor da Igreja



Santo Afonso de Ligório, Doutor da Igreja
e maior autoridade em Teologia Moral

SOBRE O VÍCIO DO FALAR IMODESTO

No evangelho do dia de hoje, São Marcos relata o milagre que Nosso Senhor operou, curando um homem que era surdo-mudo, meramente tocando sua língua. “Ele tocou sua língua... a prisão da língua se lhe desfez e ele falava perfeitamente.”. Por essas últimas palavras nós podemos concluir que o homem não era inteiramente mudo, mas que sua língua não estava livre, ou que sua articulação não era distinta. Então, São Marcos nos fala que depois do milagre, ele falou direito. Vamos aplicar isto a nós mesmos. O homem mudo precisava de um milagre para libertar sua língua, e para tirar o impedimento que ele tinha. Mas quantos outros Deus conferiria uma grande graça, se eles freassem a língua, para pararem de falar imodestamente? Primeiro, esse vício causa muitos danos aos outros. Segundo, é danoso a quem fala. Esses dois pontos serão os tópicos do sermão.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...